Home » Slider »

Ato em defesa da escola municipal pública, laica e de qualidade

Por Raissa Dantas, com informações do G1 e da TV Paranaíba

 

Na manhã dessa quarta-feira, 07 de fevereiro, o SINTET-UFU esteve presente no ato em defesa da escola municipal pública, laica e de qualidade, junto de demais entidades sindicais, estudantis e de representantes do Conselho Municipal de Educação de Uberlândia.

Nos manifestamos contrariamente à privatização de duas escolas municipais, dos residenciais Monte Hebron e Pequis, que serão geridas pela Fundação Filadélfia, uma organização não governamental que possui vínculo com o Vereador autor do projeto Escola Sem Partido em Uberlândia, Márcio Nobre.

Os manifestantes entoaram palavras de ordem e ocuparam o segundo andar do plenário, uma vez que foram impedidos de permanecer os assentos debaixo. A presidente do Conselho Municipal de Educação de Uberlândia, Marina Antunes, fez uma intervenção na tribuna do Legislativo a fim de esclarecer a situação, afirmar o posicionamento do Conselho e, ainda, pedir para que os vereadores não aprovassem os projetos sem antes realizar audiência pública com toda a população e envolvidos.

Antunes afirmou que em nenhum momento o Conselho foi questionado ou informado pela Prefeitura sobre a decisão de mudar a administração das unidades. Marina lembrou, ainda, que existem pessoas aprovadas em concurso público para ocupar as vagas nas devidas escolas e que deveram ser chamadas para iniciar os trabalhos nas escolas do Monte Hebron e Pequis, via administração pública. “A gente se pergunta também por que o Monte Hebron e o Pequis têm tratamento diferenciado, se nas outras escolas há profissionais qualificados e contratados por meio do Município” disse Marina em sua fala no plenário.

Infelizmente, por 18 votos favoráveis, 3 contrários, 2 abstenções e 4 ausências o projeto foi aprovado, o que prevê um repasse de R$3,6 milhões para a Fundação Filadélfia administrar as duas escolas. Veja como cada vereador e vereadora votou:

FAVORÁVEIS

Antônio Carrijo

Ceará

Doca Mastroiano

Hélio Ferraz Baiano

Isac Cruz

Márcio Nobre

Michele Bretas

Murilo Ferreira

Pamela Volp

Pastor Atila Carvalho

Ricardo Santos

Rodi

Roger Dantas

Ronaldo Alves

Vico

Vilmar Resende

Wender Marques

Wilson Pinheiro

 

CONTRÁRIOS

Adriano Zago

Ismar Prado

Thiago Fernandes

 

ABSTENÇÕES

Felipe Felps

Paulo César PC

 

AUSENTES

Alexandre Nogueira

Dra Jussara

Juliano Modesto

Silésio Miranda

 

Ao final do ato, um dos manifestantes foi detido após ser acusado de ameaçar Alexandre Nogueira e Wilson Pinheiro durante o entoar de palavras de ordem. A nós cabe o rechaço à política militarista que a Câmara Municipal de Uberlândia adota, criminalizando movimentos de luta fundamentais para a defesa dos direitos sociais públicos. É inadmissível que sigamos acríticos aos posicionamentos que se baseiam em abuso de autoridade e tentativas de intimidação.

7 de fevereiro de 2018