Home » Notícias » Mundo »

[FASUBRA] Análise do Programa Future-se | 31 de agosto e 01 de setembro de 2019 | GRUPO DE TRABALHO EM EDUCAÇÃO / FASUBRA

No último período o Grupo de Trabalho (GT) de Educação da FASUBRA Sindical buscou analisar os pormenores sobre o projeto Future-se, apresentado por Weintraub/Bolsonaro. Tal documento é apresentado como um acúmulo sobre o projeto na perspectiva do fazer técnico-administrativo em educação ou, ainda, mais específicamente, uma análise do “Future-se é alicerçada no resgate do projeto Universidade Cidadã para os Trabalhadores[1], elaborado pela FASUBRA e apresentado como Projeto de Lei (projeto apensado ao PL 4212/2004, na Câmara dos Deputados). Além deste referencial, baseia-se na crítica ao modelo de Estado apresentado pelo Future-se, dentre outros projetos do governo Bolsonaro, resgatando o acúmulo histórico de conhecimento produzido pelas trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação.”.

 

Neste sentido, o GT Educação destacou elementos históricos que demarcam o projeto Universidade Cidadã para os Trabalhadores, bem como outros fatos objetivos da realidade do fazer e trabalhar em educação nas últimas quatro décadas. O Grupo estruturou a análise da proposta em três seções: “Caracterização do momento conjuntural que sustenta o programa Future-se”; “Breve resumo político do programa Future-se” e “Exposição do modelo de Instituições Públicas de Ensino Superior (IPES) construído pela categoria técnico-administrativa em educação, denominado Universidade Cidadã para os Trabalhadores, em paralelo à crítica ao programa de Educação Superior do governo Bolsonaro, apresentado pelo Ministro da Educação Abraham Weintraub”.

 

O documento é bastante completo e detalhado em análises sobre o modelo de Estado presente na Universidade Cidadã para os Trabalhadores e a contramão que o Future-se apresenta como seu modelo de Estado proposto. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) é utilizada como elemento de analogia para se pensar e criticar algumas questões no que se refere à privatização de serviços públicos, expondo fragilidades e lacunas graves do Future-se que ameaçam a existência da educação pública brasileira.

 

Para ler a íntegra do documento “GRUPO DE TRABALHO EM EDUCAÇÃO / FASUBRA – Análise do Programa Future-se – 31 de agosto e 01 de setembro de 2019” clique aqui.

12 de setembro de 2019